Rita Cortez diz que luta por igualdade de gênero tem que ser travada com ‘solidariedade’

Rita Cortez diz que luta por igualdade de gênero tem que ser travada com ‘solidariedade’

A Advogada da AJS e Presidente Nacional do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), Rita Cortez, participou da abertura do I Encontro Virtual da Mulher Advogada da Região Sudeste, transmitido na última sexta-feira (15/5) pela plataforma Zoom. “A luta pela garantia da igualdade de gênero tem que ser travada com afeto, solidariedade e sensibilidade social”, afirmou Rita Cortez, para quem “o diálogo tem que substituir a política de ódio que hoje existe no País”. Organizado pelas comissões dedicadas à mulher advogada das seccionais da OAB do Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo e Minas Gerais, o evento foi aberto pelo vice-presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB), Luiz Viana Queiroz, que representou o presidente, Felipe Santa Cruz.

No início da sua fala, Rita Cortez prestou homenagem aos médicos, enfermeiros e auxiliares que estão no front do combate à pandemia. “Os profissionais da área da saúde, em sua maioria, mulheres, são os verdadeiros heróis e heroínas deste momento dramático por que passa o País”, destacou. Segundo ela, “o IAB continuará firme no seu posicionamento de que a prioridade é salvar vidas e evitar a catástrofe humanitária prevista pelos cientistas da Fiocruz, caso não sejam reforçadas as medidas de isolamento social”.

Ao abrir o evento, o vice-presidente do CFOAB comentou a respeito da dupla jornada enfrentada pelas mulheres. “Elas estão vivendo um momento difícil com a sobrecarga do trabalho em casa”, disse. De acordo com Luiz Viana Queiroz, “a pandemia revelou as diferenças de gênero na sociedade brasileira, inclusive em relação à divisão das tarefas nos lares”. Rita Cortez concordou: “A responsabilidade doméstica cai sobre os ombros das mulheres”.

A presidente do IAB falou sobre os efeitos da Covid-19 em várias áreas. “É preciso priorizar a vida humana e adotar medidas que evitem o caos social, pois a nossa crise sanitária é também uma crise econômica, política e social”, acresentou. A advogada informou, ainda, o apoio dado pelo IAB à campanha #quarentenasim #violêncianão, que alerta para o aumento da violência doméstica no período de isolamento social. A presidente da Comissão Nacional da Mulher Advogada do CFOAB, Daniela Borges, se referiu à presidente do IAB como “uma inspiração e um exemplo para a advocacia brasileira”.

Também participaram da abertura a diretora de Mulheres da OAB/RJ, Marisa Gaudio, e a vice-presidente da Seccional de MG, Helena Delamônica, coordenadoras do encontro, e os presidentes da OAB/RJ, Luciano Bandeira; da OAB/SP, Caio Augusto Silva dos Santos; da OAB/MG, Raimundo Cândido Júnior, e da OAB/ES, José Carlos Rizk Filho.

Foram realizadas quatro mesas temáticas: ‘Direitos humanos da mulher: viver sem violência’, ‘Mulheres no trabalho’, ‘Mulheres na política e economia’ e ‘Encarceramento feminino’.

Fonte: IAB


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *