Rita Cortez defende ações em prol do reconhecimento profissional da advocacia

Rita Cortez defende ações em prol do reconhecimento profissional da advocacia

“Apesar do triste cenário que vivemos hoje e de todos os ataques à advocacia, nos mantemos firmes, junto com a Ordem dos Advogados do Brasil e outras entidades, em prol de reconhecimento profissional e dignidade, pois sem advogados e advogadas não há estado democrático de direito.” A afirmação foi feita em vídeo gravado pela Advogada da Presidente Nacional do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), Rita Cortez, e exibido na noite desta segunda-feira (31/8) no canal da OAB/RJ no YouTube, em celebração ao encerramento do Mês da Advocacia. “Neste mês, o IAB, célula mater da OAB, comemorou 177 anos de existência em defesa da advocacia e da democracia”, disse Rita Cortez.

O presidente da OAB/RJ, Luciano Bandeira, falou sobre o fortalecimento da advocacia na pandemia. “É muito importante celebrar a advocacia, que está atravessando um momento de muitas dificuldades, se adaptando às novas tecnologias e seguindo firme na busca de soluções para que possamos superar as dificuldades desta pandemia e ter uma advocacia ainda mais forte”.

Também prestaram depoimentos os ex-presidentes da OAB/RJ Sergio Zveiter e Wadih Damous; a vice-presidente da Seccional, Ana Tereza Basílio; o secretário-geral, Álvaro Quintão; o tesoureiro Marcello Oliveira; o secretário-adjunto, Fábio Nogueira; a diretora de Mulheres, Marisa Gaudio; o diretor de Comunicação, Marcus Vinícius Cordeiro, e o presidente da Caixa de Assistência da Advocacia do Estado do Rio de Janeiro (Caarj), Ricardo Menezes, entre outros.

Além da participação de personalidades do mundo do Direito, foram exibidas manifestações e apresentações de artistas, como a atriz e cantora Zezé Motta. O cineasta Silvio Tendler ressaltou os 40 anos da explosão da carta-bomba que matou Lyda Monteiro da Silva, secretária do então presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB), Eduardo Seabra Fagundes, e a luta da OAB em defesa da democracia.

Fonte: IAB


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *