REFLEXOS DA GREVE GERAL – Justiça derruba ameaça de desconto feito pela Caixa

Atendendo ao pedido de tutela antecipada em ação movida pelo Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro, a juíza Neila Costa de Mendonça, da 76ª Vara do Trabalho, derrubou a decisão da diretoria da Caixa Econômica Federal de descontar o dia não trabalhado na Greve Geral desta sexta-feira (28/4) contra as reformas previdenciária, trabalhista e a terceirização. A ameaça foi feita através de ofício enviado hoje (27/4) a todos os funcionários. Nenhum outro banco tomou decisão semelhante.
Para a diretora do Departamento Jurídico do Sindicato dos Bancários, Cleyde Magno, esta foi uma tentativa desesperada de intimidação, visando a não participação dos empregados do banco na paralisação nacional convocada por todas as centrais sindicais. Mas não deu certo. A Justiça entendeu que o desconto relativo ao dia parado não pode ser feito por ser direito constituído com base na cláusula do acordo coletivo de trabalho 2016/2018 que previa, no máximo, a compensação das ausências com prestação de jornada suplementar.
“Defiro o requerimento de tutela de urgência para que a CEF se abstenha de efetuar desconto relativo às ausências por motivo da paralisação de amanhã; cabendo tão somente a compensação, com labor em sobrejornada, não superior a duas horas diárias”, determina decisão judicial.
Greve Geral
Assim como os demais trabalhadores do país, os bancários de bancos públicos, como a Caixa e o Banco do Brasil e dos bancos privados, como o Bradesco, Itaú e Santander, entre outros, estarão em greve nesta sexta-feira. A decisão do Rio de Janeiro foi aprovada pela categoria no dia 19 de abril.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *