Para Rita Cortez, sem democracia não é possível haver igualdade de gênero e raça

Para Rita Cortez, sem democracia não é possível haver igualdade de gênero e raça

Ao participar da abertura do I Encontro Virtual da Mulher Advogada do Estado do Rio de Janeiro, nesta terça-feira (9/6), no canal da OAB/RJ no YouTube, a Advogada da AJS e Presidente Nacional do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), Rita Cortez, afirmou: “Nós, mulheres, precisamos sair em defesa da democracia, da ordem jurídica e da Constituição, sem as quais não é possível promover a igualdade de gênero e raça”. Rita Cortez iniciou a sua participação fazendo uma “respeitosa e solidária saudação aos familiares das vítimas da Covid-19 em todo o País e às mulheres vitimadas pela violência doméstica durante a pandemia”. A advogada trabalhista também disse: “Não há superação possível fora da democracia para a crise sanitária, econômica e política”.

Também participaram da abertura do evento os presidentes do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB), Felipe Santa Cruz; da OAB/RJ, Luciano Bandeira; da Comissão Nacional da Mulher Advogada, Daniela Borges; da Caixa de Assistência dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro (Caarj), Ricardo Menezes, e da Comissão OAB Mulher, Rebeca Servaes; a diretora de Mulheres da OAB/RJ, Marisa Gáudio; o secretário-adjunto da Seccional, Fábio Nogueira; a vice-presidente da OAB Mulher, Flávia Ribeiro, e a coordenadora do Grupo de Trabalho Mulheres Negras da OAB Mulher, Flávia Monteiro.

“Rita Cortez é uma liderança feminina que faz história na presidência do IAB”, destacou Felipe Santa Cruz. O presidente do CFOAB ressaltou a “ampliação dos espaços femininos na Ordem” e comentou que, na próxima eleição para a formação das diretorias do Conselho Federal, das seccionais e das subseções, ao menos 30% dos cargos serão ocupados por mulheres. Marisa Gáudio disse que “o objetivo deste evento é unir as mulheres nesse momento tão atarefado para as advogadas que estão trabalhando em regime de home office e manter vivo o debate sobre temas importantes para a construção de uma sociedade justa e igualitária”.

Triste fato – Luciano Bandeira exaltou a defesa das causas femininas, mas também da igualdade de raça. “É uma luta de todos, pois não há sociedade justa e democrática se não formos todos tratados com igualdade”, afirmou o presidente da OAB/RJ, que complementou: “No entanto, vemos, por exemplo, aqui no Rio de Janeiro, o triste fato do extermínio da juventude negra”. De acordo com Bandeira, 23,8% das pessoas mortas pelas forças de segurança nos EUA são negras, enquanto no RJ elas somam 78%.

Daniela Borges também falou sobre a importância do estado democrático de direito. Em sua opinião, “não há democracia sólida sem liberdade de imprensa e direitos humanos garantidos”. Fábio Nogueira afirmou que “a Constituição não é apenas uma folha de papel, mas o caminho para a garantia da democracia”. Flávia Monteiro disse que “o racismo cotidiano está cada vez mais forte”. Ricardo Menezes falou do seu “orgulho de atuar ombro a ombro com o presidente Luciano Bandeira” nas causas importantes da advocacia.

Durante o encontro, que se estenderá até quarta-feira (10/6), serão debatidos temas como ‘Justiça e tecnologia, ‘Advocacia e maternidade’, ‘Perspectivas sobre a violência contra a mulher’, ‘A saúde no panorama atual’, ‘Vulnerabilidades’ e ‘Mulheres e política’.

Fonte: IAB


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *